enpt-br

Artigos

O Mercado que levou meu coração

Quando meu filho Lucio me ligou para dizer que o Mercado Público estava pegando fogo fiquei gelado como estivesse recebendo a noticia que eu tinha apenas uma semana de vida. Mas eu tinha ido lá nesse sábado? Liguei a TV e lá estava o mercado centenário queimando e alguns carros de bombeiros tentando apagar o fogo com uma escada Magirus e constantes faltas de água. E o “prefeito” dizendo que o mercado estava com todas as licenças anti-fogo em dia. Mas o que significa isso? O mercado tinha extintores? Tinha saídas de emergência? Tinha Sprinklers?

Não, não devia ter Sprinklers. Talvez o “prefeito” nem saiba o que é isso. O que se viu foi uma grande quantidade de bombeiros e policiais correndo feito moscas tontas, sem condições de combater o fogo, que além de destruir um patrimônio histórico-cultural, enchia de tristeza a alma de milhares de porto alegrenses. Isso me fez lembrar como estamos correndo riscos com a péssima qualidade dos serviços públicos e na imensa roubalheira que se instalou no país liderada pela classe política.

Acho que é hora de sairmos as ruas novamente e sermos mais exigentes.CHEGA! A falta de vergonha é tanta que logo após os últimos protestos, veio a farra dos jatinhos. Não esperaram nem o cadáver esfriar e a desfaçatez continuou. Isso significa o quê? Eles não tem medo do povo e das nossas reações, que são muito brandas. E quando não são, logo os grandes grupos de comunicação chamam de “baderna” ou “vandalismo”. Milhões de brasileiros são roubados permanentemente por essas quadrilhas, instaladas por todo o país, nas prefeituras, câmaras municipais, governos estaduais, assembléias legislativas, ministérios, etc, sob o olhar complacente do poder judiciário e da grande mídia.

Alguém já disse que é preciso que algumas coisas mudem para que nada mude. Foi só o povo sair a rua que algumas medidas paliativas foram tomadas. Mas o principal continua sem mudanças. Só uma grande revolta popular poderá tirar esses ratos do poder, que lhes dá o direito de usar a coisa pública em seu próprio benefício. Tudo isso as custas do dinheiro tão necessário a saúde, a educação e aos serviços públicos em geral. Acorda Brasil, nossas riquezas estão se esvaindo pelo esgoto da política e dos partidos políticos!

Eu comecei falando do mercado e já estou incitando uma revolução. Povo sem memória é povo servil. O triste espetáculo de um mercado centenário, cheio de histórias e sei que cada um de vocês tem uma história com o nosso velho e querido mercado, acende em cada um de nós a luz da revolta contra a incompetência e a falta de sensibilidade dos homens que nós colocamos no poder para nos representar. Talvez mais coisas precisem queimar para termos um país livre desses desterrados que não merecem o nome de brasileiros.

Claro, o mercado será reconstruído com a ajuda do dinheiro dos nossos impostos, mas apresentados como uma benesse dos políticos para o povo. Vai ter festa, shows, presença de atores globais, enfim o mesmo circo de sempre. Muitos irão esquecer o que aconteceu até que uma outra tragédia ainda maior ganhe as manchetes. Mas os governantes continuarão com seus conchavos de gabinete dividindo o botim!